BOAS PRÁTICAS DA TRISKEL NO CICLOTURISMO E ECOTURISMO

Toda atividade humana de uma forma ou de outra provoca impactos no planeta. Buscamos existir de forma equilibrada, mas sempre precisamos rever nossas atitudes e melhorar. Vou dividir nossa lista de boas práticas com vocês e espero que possa ajudá-los a lembrar de algumas responsabilidades que são necessárias absorverem para a prática do cicloturismo e do ecoturismo, atividades a qual estamos imersas e comprometidas. Essa lista não se esgota aqui, estamos sempre atualizando e se puderem ajudar, por favor, passem suas impressões e recomendações.

Dependendo da atividade, pode ser individual ou até com 8 participantes . Enviaremos previamente um formulário para conhecer sobre suas habilidades, condições de saúde e informações sobre protocolo de controles de riscos frente a pandemia e de atividades em áreas naturais.

EM AMBIENTES NATURAIS E COMUNIDADES

– Cuide dos impactos que você possa causar. Os negativos, minimize; e os positivos, maximize.

– Em trilhas siga o caminho em fila indiana e evite tocar em plantas, algumas podem causar alergias. Cuide para não tocar em nenhum tipo de inseto, lagarta, aranha etc. “Os bichos podem estar assustados com a sua presença, com o seu tamanho e com o barulho que fazemos e entender que somos uma ameaça”.

– Não jogue cascas, sementes e restos de alimento. Em áreas naturais, você pode estar causando alterações naquele ecossistema, fauna e flora. Esses alimentos podem conter agrotóxico, ou como não são próprios daquela região, podem comprometer a saúde dos animais, já as sementes podem disseminar o desenvolvimento de espécies exóticas.

– Se não encontrar um banheiro por perto e for necessário usar o mato para suas necessidades, não as faça perto de arroios, córregos, nascentes  e lembre de enterrar e não deixe nenhum tipo de papel ou lenço umedecido. Traga de volta (num saquinho), descarte de forma correta em uma lixeira.

– Tratando-se de UC de Uso Sustentável procure saber quais as restrições no uso desses espaços e seguir as orientações legais.

– Lembre-se de que você é o visitante entrando num ambiente ocupado por outras pessoas, então: seja gentil, cumprimente a todos que cruzarem seu caminho, em especial aqueles que te percebem e olham com curiosidade.

– Em visita a lugares singelos e ao adentrar em estabelecimentos nas comunidades, evite usar capacete e óculos e observe se a sapatilha ou tenis não carregam um tanto de barro, não precisa explicar, não é?

– Adquira produtos locais, busque aquela comidinha especial feita por mãos carinhosas. Conheça artesões e outras especialidades locais.

– Se quiser registrar o momento com alguém da localidade, pergunte se pode tirar uma ou algumas fotos. * DICA: se possível pegue um endereço dessa pessoa e envie uma foto revelada para que ele ou ela também possa guardar uma lembrança sua. Escreva seu nome e agradeça.

– Traga seu lixo de volta. Especialmente após visitar localidades em que não existe coleta regular e muito menos a seletiva de resíduos. Leve saquinhos para trazer os restos e se for papel é ainda melhor.

– Nessas localidades mais sensíveis e que utilizam sistema de saneamento ambiental individual (zona de raiz, fossa séptica, banheiro sêco) procure usar produtos biodegradáveis ou aqueles menos danosos ao meio ambiente (maquiagem, produtos de limpeza e higiene, dentre outros).

Se você chegou até aqui, deve estar buscando uma vivência consciente e responsável, então já deve ter algumas ideias sobre como se comportar em ambientes naturais. Mas se tiver dúvidas ou precisar de outras dicas, me chame que terei muito prazer e tempo para conversarmos! – Caso tenha interesse em consultar outras fontes, segue o Guia de Conduta Consciente em Ambientes Naturais do ICMBIO.

Enter your keyword